Girl’s Day vira MAMAMOO para seu tão aguardado retorno. É, poisé.

Nós enfrentamos trinta adiamentos, recebemos informações a conta-gotas, presenciamos a origem de uma creepypasta, e recebemos os teasers feitos às pressas. Foi um longo caminho, mas finalmente chegamos ao destino final: o comeback de Nostradamus’ Day está entre nós!!!

E ok. Pelo menos elas estão de volta, né?

Que história era aquela do Ryan S. Jhun que essa era uma música que só Girl’s Day poderia cantar? Ele não conhece MAMAMOO? Essa música grita MAMAMOO. Com ênfase no “GRITA”.

O instrumental é até bem legal, a mistura de jazz com hip hop foi interessante… mas é tudo estragado pela excessividade dos vocais. É o tipo de faixa feita só para mostrar que as integrantes sabem cantar, mas nesse caso A integrante… boa sorte para a voz da Minah cantando isso por três semanas.

Um refrão de mais impacto poderia ter salvado essa faixa, mas esse daí é muito fraquinho. Se I’ll Be Yours não tivesse sido lançado por um grupo bias, mas por um Hello Venus ou DalShabet da vida, eu provavelmente ouviria umas três vezes para nunca mais.

Eu pensei que o Ren do NU’EST estava no P101, o que ele tá fazendo substituindo a Yura nessa foto?

Isso aqui foi feito para agradar aos vocalfappers e não a mim. Mas vida que segue, vamos falar do MV!

PUTA QUE PARIU, ESSA FONTE DE NOVO???? -_-

Digipedi enviou um estagiário pra dirigir isso aqui enquanto Wonmo Seong e Sangwoo Park estão ocupados na Europa gravando os próximos nove clipes mensais de LOONA, né? Porque a gente sabe que Digipedi consegue fazer algo acima da média mesmo quando há óbvias limitações orçamentárias. Isso aqui não tá vergonhoso, mas ficou bem morninho.

Aliás, que limitações orçamentárias são essas pra começo de conversa!?? Onde foi parar o dinheiro dos CFs da Hyeri, Dream Tea????

Dá pra perceber que tentaram passar uma mensagem aí de homens que fazem de tudo, brigam para conquistar as mulheres e elas os dominam ou algo assim… mas enfim, a edição não ajudou muito nessa parte. Rola muita distração e parece que o MV não tem um foco. No fim do dia isso ficou pouco diferente do típico vídeo de Girl’s Day que foca em mostrar como elas são gostosas (o que eu adoro, mas de Digipedi eu esperava mais).

É até redundante dizer isso quando se trata de Girl’s Day, mas as integrantes estavam lindas. Menos a Minah. O que foi que fizeram com ela??? A Minah sempre se dá melhor quando o MV é conceito aegyo e Expectation vai continuar sendo a única exceção disso pelo visto.

E a coreografia deve ser a mais fraca delas desde sempre. Nenhum passo memorável.

A gente foi da Dança do Suspensório ao Passinho do Cachorro Mijando. Mas que merda.

Agora pega tudo o que eu falei… E JOGA NO LIXO PORQUE O MINI ALBUM TÁ SENSACIONAL!!!! Todas as b-sides são boas. TODAS, até o solo da Minah que certamente é uma música descartada pela Taeyeon.

Ryan Jhun deu a entender que ele teve liberdade criativa para definir o som do álbum e dar a Girl’s Day uma nova direção. E dessa vez sim o que ele falou fez sentido. Everyday #5 serve demos-que-a-SM-compra-da-Suécia realness, é algo diferente para o grupo e ainda por cima é coeso, uma preocupação que a Dream Tea nunca teve. Dá para perceber que ele é realmente resultado de uma visão única.

E talvez o alto número de disbands desde o ano passado tenha desregulado minha produção hormonal ou uma coisa dessas, mas isso aqui realmente me emocionou:

“7 anos atrás, elas eram chamadas de nomes como ‘Pumba Idols’ [W-Dragon: O que caralhos significa ‘pumba idols’!??], mas a meu olhos elas possuíam um charme explosivo. Girl’s Day está no topo agora, numa posição diferente de antes. (…) Elas estão a caminho de uma nova direção e seguiram bem.”

— Ryan S. Jhun

Geralmente o debut é um dos momentos mais marcantes para um idol, mas o de Girl’s Day foi cercado por negatividade. Foi Nothing Lasts Forever que deu ao grupo uma nova direção e mostrou que ele era capaz de mais do que as pessoas imaginavam. Hoje, 7 anos depois (o que geralmente marca a morte de um grupo), elas estão aqui com o mesmo produtor fazendo isso mais uma vez.

A title track é exatamente a única coisa que decepciona! Ela é a mais fraca do EP e a única que destoa muito do resto. Ela nem combina com a artwork do álbum! Mas a sua escolha é bem compreensível…

Thirsty e Don’t Be Shy não teriam a mesma chance de vender bem na Coreia do que uma faixa que é basicamente MAMAMOO. E elas precisam vender decentemente para ter ao menos mais UM comeback até 2019 quando o novo contrato acaba, então que assim seja.

Eu ainda prefiro o meu Girl’s Day entregando pop grudento e contagiante (por isso Don’t Be Shy é minha favorita do EP), mas o grupo se propôs a fazer algo diferente e valeu muito a pena! Dane-se a title track morna, eu ganhei outras cinco faixas para ouvir de Girl’s Day pelo resto do ano todo. EVERYDAY IS GIRL’S DAY!!!! \o/

E encerra com a fonte porca

Anúncios

18 comentários sobre “Girl’s Day vira MAMAMOO para seu tão aguardado retorno. É, poisé.

  1. Olá, vim só falar um pouco sobre a fonte do MV de que você gosta tão pouco. O seu nome é Futura, neste caso aparece no peso Regular em all caps, e foi desenhada por Paul Renner em 1928. No entanto, devido às suas formas geométricas (e ao seu nome), sempre foi associada aos ideais do futurismo, e foi até a fonte escolhida para o texto na placa comemorativa deixada na Lua em 1969, quando os americanos lá foram pela primeira vez.
    É também conhecida por ser a fonte preferida de Stanley Kubrick e Wes Anderson, sendo isso evidente em muitos dos seus filmes. E por causa disso também é adorada por uma legião de fãs de design e hipsters no geral.
    Eu, pessoalmente, não consigo não gostar de ver esta fonte associada a GOD’S DAY, e acho que ficou lindo e que faz todo o sentido. Se você não gostou, não há problema, você é que sabe, os gostos são seus. Só quis informar 🙂
    Continue com o bom trabalho no blog ❤

    • Ah, isso sim é legal! Ainda acho ela bem pobre e que não funciona muito bem no contexto, mas agora eu finalmente consigo ter uma noção de qual foi a ideia por trás disso. Poxa, muito obrigado mesmo!

    • Tem bastante lógica isso, já que o conceito do comeback é “conquistas” e “para um futuro promissor”, então nada mais coeso que a fonte refletir isso, eu não sabia dessas informações ai, mas são bem interessantes!

  2. Sobre o comeback, a ligeira decepção que boa parte das pessoas tiveram com ele, foi muito por causa do hype, e eu avisei que era melhor tentar ser neutro!

    A gritaria da Minah não me incomodou, muito pelo contrário (o que a seca de quase 2 anos sem comeback não faz), e achei a estrutura da música bem Girls Day ❤ , mamamoo não cantaria essa música como elas, já que lá TODAS lá tem uma whitney Hilton interior, e iam querer botar pra fora, já as GD tem versos contidos por conta das limitações da baby Hyeri, e das toscovilhas em forma de rap que a Yura desova!

    • Mas é aí que está, mesmo com a Minah o grupo é muito limitado vocalmente. Essa música simplesmente não serve para ele, ela é diferente de Something. A faixa enfraquece exatamente porque tem de se adaptar a Yura, Hyeri e até mesmo Sojin.

      A ideia de enfiar Hyeri na bridge, por exemplo, estragou o que seria a melhor parte da música. É uma das poucas vezes MAMAMOO conseguiria melhorar o resultado final de uma música.

      • E quem te ver falar de mamamoo e não conhece o grupo, vai jurar que elas só lançam porcaria, aguarde os fãs delas virem aqui enaltecer o “TALENTO VOCAL” delas até você se arrepender de viver!

      • Bem, existe Piano Man…

        E só pra esclarecer que pode parecer que eu acabei me contradizendo com o post quando disse que o excesso dos vocais estragou a música. Mas é que pra esse instrumental eu preferiria uns vocais menos escandalosos, mas já que esse foi o objetivo, o Mamamoo o cumpriria melhor.

  3. Mas que profunda essa declaração dele, até eu me emocionei

    No mais, curti o comeback, apesar de que não achei tão *BOOOOOOOOOOOOOOOOOOM* quanto um lançamento desse deveria ser (já que elas ficaram quase 2 anos sem lançar nada além daquele CF de cabelo lá, faltou mais impacto). O mv eu achei estranho porque eles montaram um conceito pra cada mas não se aprofundaram muito, só no da Hyeri e no da Yura, o da Sojin soa aleatório demais e o da Minah meio sem sentido. Mas de resto, até gostei

  4. Eu fiquei decepcionada delas copiarem MAMAMOO, porém era uma direção bem previsível visto o sucesso que elas tiveram enquanto Girl’s Day tava em hiatus, né? Enfim, a música é legalzinha, mas ouvi três vezes e não pretendo ouvir muitas mais hahaha.

    Estou ouvindo o resto do mini agora e confiando que vai ser só coisa boa! Amém, Deus Day e que voltem em breve!

    P.S.: Quanto a fonte, olha, sou dizáiner e adoro a Futura, mas também não curti a forma como usaram no MV não. O que me incomoda é o espaçamento e a entrelinha super nem lá nem cá, fora a cor escolhida, que fica brigando com o fundo o tempo inteiro. Parece que o estagiário só jogou por cima e não ajustou nada. Pra mim não adianta nada usar uma fonte com todo um contexto por trás se a solução gráfica ficaria mais satisfatória com qualquer outra fonte nugu (hahaha). Enfim, gosto é gosto e cada um tem o seu, felizmente xD.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s