Comentando (quase) tudo que saiu durante meu sumiço

O blog andou bem parado nos últimos meses e desde então muita coisa foi lançada, como a vigésima versão de Produce 101 na Mnet e a turnê Laughter In the Dark da Utada na Netflix. Agora é hora de tirar a poeira daqui e colocar o assunto em dia comentando as músicas que saíram nesse meio-tempo.

SOMI – BIRTHDAY

E então que 84 anos após o fim do I.O.I, Somi finalmente debutou. E solo, como ela tanto queria. Ela tá dizendo agora que saiu da JYPE por diferenças criativas, mas não sei quem vai acreditar nesse pretexto porque eu consigo facilmente imaginar ITZY cantando algo assim. “Birthday” não fez muito minha cabeça, mas o debut é competente (melhor que “Dalla Dalla”, por sinal) e considerando que o produtor é o Teddy eu vou me dar por satisfeito. Combina com com a imagem dela e o clipe ficou bem teenzinho e colorido, só falta um programa de entrevista e ela vira a Maísa asiática.

FROMIS_9 – FUN!

Sob o efeito de alucinógeno os produtores estavam quando criaram isso??? MUITO RUIM, mas também estupidamente divertida, então sei lá… objetivo atingido?

OH MY GIRL – THE FIFTH SEASON

Demorou, mas Oh My Girl enfim voltou à fórmula de Secret Garden, seu único hit até o momento. The Fifth Season tem um refrão muito superior, facilmente um dos melhores do ano até agora, mas eu acho que é exatamente por conta de se apoiar demais na força do refrão que a faixa acaba não sendo tão envolvente quanto Secret Garden. Ainda assim, a margem de acertos de OMG continua alta.

WJSN – BOOGIE UP

Esses dias WJSN tá perdendo mais integrante pra China do que o EXO, mas a boa notícia é que elas enfim lançaram um summer concept que faz jus ao legado de SISTAR. Achei os vocais esganiçados uma péssima escolha para essa música, mas ainda assim é uma das melhores deste verão coreano. Bora deve estar orgulhosa, onde quer que ela esteja agora.

YUKIKA – CHERRIES JUBILES

Desde que debutou em fevereiro com o hino maravilhoso do citypop “NEON” eu tenho aguardado o primeiro comeback de Yukika. A faixa é mais um citypop delicioso apesar de não chegar nem perto da obra-prima que é NEON (sério, escutem essa música). Eu só não sei por que caralhos o diretor do MV decidiu trollar os fãs colocando uma versão acústica no começo do clipe, isso foi uma péssima ideia. A música de verdade só começa depois de dois minutos e até lá quem estava assistindo já fechou a aba ou caiu no sono. Mas enfim, #StanNEON.

EYEDI – & NEW

Quem também apostou no retrô foi a Eyedi (a gata de Best Mistake, lembram?) e acertou em cheio. “& New” é perfeita do começo ao fim e já tem um dos meus refrões favoritos do ano. Amei mais ainda o clipe, que é basicamente a Eyedi em diversos looks oitentistas (que ficaram incríveis nela e até me fizeram reparar que ela é bem parecida com a IU), mas captura muito bem a vibe nostálgica e confortável da música.

ARRAN – PUZZLE

E as solistas nugu estão pegando fogo este ano! A title track desta desconhecida aqui é uma farofa de verão bacana, mas o destaque mesmo são as b-sides. O álbum de debut dessa tal Arran é surpreendentemente bom! Um pouco repetitivo (quase todas faixas são tropical house), mas bom. Minhas favoritas são Still Like It e o synthpop que deveria ter sido lançado por Lovelyz, Fine New Day.

KYARY PAMYU PAMYU – KIMI GA II NE KURETARA

O refrão disso daqui é a melhor coisa da Kyary desde, sei lá, Fashion Monster. Uma pena que o resto da música seja bem sem graça, mas nada que atrapalhe muito e honestamente eu acho que isso é o melhor que a gente vai conseguir da Kyary a essa altura.

E-GIRLS – CINDERELLA FIT

Cinderella Sarada segue a linha das músicas mais alegrinhas das E-Girls, mas com uma pegada mais moderna e isso é uma ideia que empolga bastante no papel, mas ficou faltando aquele refrãozinho cativante para o negócio funcionar.

PERFUME – NANANANANAIRO

Mas o que diabo aconteceu com Perfume???

CLC – ME

Em 2017 CLC lançou Hobgoblin, uma paródia de Crazy do 4Minute que foi venerada pelos capopeiros ocidentais, não pela qualidade da música mas porque havia pouco girl crush sendo oferecido no mercado na época e os fãs desse conceito estavam aceitando qualquer coisa que viesse. Agora em 2019 o cenário mudou e até Twice já teve seu girl crush concept, mas felizmente CLC melhorou seu jogo e conseguiu criar uma identidade própria com uma sequência de músicas sensacionais em Where Are You, Black Dress, Distance e No… então por que caralhos a CUBE decidiu regredir dez passos e botar o grupo pra copiar 4Minute de novo eu não sei. E o pior é que Me é um remake de Hate… agora me diz, QUEM EM SÃ CONSCIÊNCIA TAVA PEDINDO POR UMA NOVA VERSÃO DE HATE????

GIDLE – UH-OH

Talvez seja influência do meu ranço por ainda não conseguir escrever o nome do grupo sem olhar no Google, mas o fato é que eu ainda não consegui gostar de nada do GIDLE (com exceção de Hann). Essa “Uh-Oh” é gostosinha, mas ainda faltou alguma coisa pra me conquistar, então quem sabe na próxima…

EXID – ME&YOU

Adorei que EXID quebrou a tradição das goodbye songs do capope e decidiu dar adeus com uma música decente. Eu acho que teria sido melhor ter guardado “Up & Down pt. 35” (a.k.a. I Love You) para ser lançada como faixa de despedida do grupo porque a pegada dessa ME&YOU tá mais pra 2NE1 do que pra EXID… mas antes isso do que uma balada chata, né?

WINNER – AH YEAH

A capacidade de Winner em nunca lançar uma música decente me assusta…

NCT 127 – SUPERHUMAN

NCT 127 tá tentando conquistar os Estados Unidos seguindo os passos de BTS e Blackpink, mas parece objetivo acho que a SM deu um tiro no pé lançando Supherhuman. A música é ótima, mas ela faria mais sentido sendo lançada por SHINee como follow-up de Lucifer lá em 2010 e não por um grupo que almeja conquistar o ocidente em 2019. Isso não parece nem remotamente com nada que o público americano tem curtido hoje em dia.

MONSTA X – WHO DO U LOVE?

PUTA QUE PARIU, QUANDO FOI QUE MONSTA X FICOU TÃO BOM??? Só falta eles sumirem depois disso como aconteceu com APRIL.

RED VELVET – ZIMZALABIM

E após salvar 2018 duas vezes com Bad Boy e Power Up para em seguida assassiná-lo com RBB, Red Velvet enfim está de volta com Zimzalabim. A música é uma montanha-russa com várias seções completamente distintas seguindo a tradição I Got A Boy. Ela começa bem promissora, até mesmo do anti-refrão eu gostei, mas diferente de IGAB a montanha-russa cansa depois primeiro minuto e o clímax é sem graça demais pra uma música tão maluca.

NATURE – I’M SO PRETTY

Mas se você se decepcionou com Zimzalabim, não se preocupe, pois as nugus estão aqui para ajudá-lo! “I’m So Pretty” é basicamente um remake de Rookie sem as escolhas ruins experimentais daquela música (sim, esta aqui tem um refrão de verdade!) e como resultado disso nós ganhamos uma das faixas mais alegres e grudentas de 2019. Tá vendo o que dá pra se fazer com um pouco menos de pedância, SM?

GFRIEND – FEVER

GFriend + tropical house… por que eu dei play nisso?

LOVELYZ – WHEN WE WERE US (BEAUTIFUL DAYS)

Sim, chegamos nelas. Lovelyz voltou com “When We Were Us (Beautiful Days)” e esse comeback me fez refletir bastante. Eu adorei a música, ela é a melhor delas desde WoW! com certeza, mas parece que desde que OnePiece e Digipedi pararam de trabalhar com elas o Lovelyz parece estar fadado a permanecer na sombra do que um dia já foi. Depois que a parceria terminou em Now We o grupo agora foge demais da sua identidade (como em That Day e Wag-zak) ou tenta seguir à risca o que foi feito antes sem alcançar a mesma qualidade, tanto musicalmente quanto visualmente (como é o caso de Lost N Found e agora Beautiful Days). O resultado disso é que, mesmo lançando algo bom, Lovelyz não consegue mais evoluir. É triste dizer isso, mas a verdade é que hoje eu não colocaria mais o grupo entre os meus favoritos.

TWICE – BREAKTHROUGH & HAPPY HAPPY

Como TWICE não vinha lançando tanta coisa quanto no ano passado, JYP decidiu compensar colocando-as pra trabalhar um Double A-Side no Japão. O lado red “Happy Happy” segue a fórmula da discografia coreana delas com a única de estar em japonês mesmo. Já o lado velvet “Breakthrough” consegue ser algo diferente para o TWICE, mas o refrão insosso acaba impedindo que ele seja algo mais. Então é, melhor esperar o comeback coreano.

CARLY RAE JEPSEN – TOO MUCH

FODA-SE que Carly Rae Jepsen nem asiática é, essa mulher lançou o melhor álbum pop do ano e não serei eu quem vou perder a oportunidade de espalhar o Novo Testamento, então o post vai terminar com o álbum Dedicated mesmo. Flw vlw.

Anúncios

4 comentários sobre “Comentando (quase) tudo que saiu durante meu sumiço

  1. “Talvez seja influência do meu ranço por ainda não conseguir escrever o nome do grupo sem olhar no Google, mas o fato é que eu ainda não consegui gostar de nada do GIDLE”

    Caramba… pra mim, até agora elas acertaram em TODOS os singles. Algumas B-sides são fraquinhas, mas os singles do GIDLE são muito bons (e a Soyeon é séria candidata a melhor rapper idol da nova geração).

    Mas sim, escrever o nome do grupo é um saco.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s